Posts Recentes

Nova série de posts

June 19, 2015

1/4
Please reload

Destaque

Por onde andam as mulheres?

April 4, 2016

          Percursos e medos que limitam a experiência de mulheres no centro do Recife.

 

 

          É sentença corriqueira em estudos e pesquisas nacionais e internacionais que as mulheres sentem mais medo que os homens no espaço público. O medo da violência para com elas ou com os filhos ou mesmo a simples sensação de insegurança apresentam-se como limitantes do uso de espaços públicos,

acarretando em “normas” coletivas femininas de horários e locais permitidos na cidade. Partindo do argumento de que o medo pode ser visto tanto como uma questão social, mas também espacial, elencou-se teóricos e estudiosos que produziram reflexões sobre o medo no espaço público. Jane Jacobs (2000), Oscar Newman (1972), Bill Hillier (1988) and Ray Jeffery (1971) e seus seguidores forneceram uma rica discussão sobre a prevenção ao crime através do desenho urbano e o aumento da sensação de segurança, consequente redução do medo do crime. De modo geral, além das características ambientais do espaço, esses autores relacionam a sensação de insegurança com a forma de uso do espaço público:

presença de vigilância (formal ou informal), atividades, manutenção e fluxo de pessoas no espaço. Com o foco na mulher, RossanaTavares (2012), Sônia Calió (1997), Gil Valentine (1989), Rachel Pain (2000) e Alice Taylor (2011) entendem que o medo da mulher no espaço público é mais uma expressão do patriarcado. Seja através do androcentrismo nos estudos e no planejamento urbano, seja pela sensação de vulnerabilidade diante da figura masculina, as experiências vividas ou informações secundárias, o medo da mulher no espaço público é produto da relação de dominação dos homens sobre as mulheres ainda hoje existente em nossa sociedade.

           A dissertação de Mestrado da Arquiteta e Urbanista Lúcia de Andrade Siqueira parte da hipótese de que a experiência do medo da mulher no espaço público é influenciada pela relação entre os aspectos espaciais e sociais do ambiente. Isto posto, buscou-se compreender como se dá essa relação e como

influenciam na experiência do medo da mulher no espaço público através de exercício investigatório que partiu de um arcabouço teórico internacional e nacional e a contextualização através da investigação empírica no centro do Recife.

 

Dissertação completa.

Please reload

Siga a gente
Busca por Tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square

INÍCIO

 

CONTATO

 

DOWNLOAD

HORA

DO CAFÉ

 

REVISTA

 

GALERIA

AS

MULHERES

QUEM  SOMOS

INÍCIO